Páginas

7 de jul de 2017

Primeira carta de 2017

Carta em poesia...

Belo Horizonte, 07 de julho de 2017.

Palavras em mim

Não sou de escrever palavras tortas
Embora, às vezes, pareçam mortas.
Na linha da vida em que me encontro,
Preciso mesmo chegar a um ponto.
Entre rimas perdidas no meu espaço,
Quisera eu ter a firmeza de um compasso...
Se eu entrar em prantos, não me espanto.
Choro pela vida que não encontro...
Espero pelo fim, espero pelo começo,
Um minuto perdido no beijo...
E quando eu voltar do sonho,
Será que ainda me encontro?
Acho o ponto enfim, no meu pedaço de mim...
Este, que não sei ao certo quem é,
E que não rima em nada com a minha vida...

Milena Renata Borges de Lima

Imagem: Google




31 de dez de 2015

Carta ao desapego

Belo Horizonte, 31 de dezembro de 2015

Aquela sensação de missão cumprida, misturada com frustração e um pouquinho de cansaço, mas que no fundo, mesmo sendo tão árduo, valeu a pena. 
E assim, me despeço de mais um ano... 
Dessa vez, quero lembrar só do que foi bom, dos momentos que fizeram bem, dos dias engraçados, das risadas com amigos, daquele carinha legal que conheci, de uma noite louca com a minha melhor amiga, agradecer por ter a minha família junto a mim e de agora para frente, deixar rolar, sem planos e expectativas. 
Que venham as mudanças, as pessoas e lugares novos, os dias quentes, as noites animadas e claro, uma paixão a cada três meses. Vou desapegar dos planos, xingar quando tiver vontade, ter menos medo de perder e colocar nas mãos de Deus. 
Feliz 2016 pra mim, pra você, pro lixeiro, pro vizinho chato, pra nossa família e amigos, pra "falsiane", pro babaca que te deu um fora, pro gatinho que te deu aquela pegada e pra todo mundo que entrou e saiu por alguma porta das nossas vidas. Para alguns, "Sejam BEM- VINDOS!" E para outros, meu doce e eterno adeus!

Joyce Estanislau