Páginas

10 de mai de 2015

Carta às mães

Belo Horizonte, 10 de maio de 2015

Tudo começa com uma intuição...
Então, tudo se confirma com sete letras: POSITIVO ou dois "||" no teste de farmácia, e aí tudo muda!! Tudo mesmo!!
Uma avalanche de sentimentos toma conta do corpo, da mente, da alma... A sensação às vezes é de medo: "Será que eu vou conseguir? Será que eu posso? Será?" Ah, a gente consegue, pode, deve!!
Ficamos nervosas, tristes, alegres, inchadas... Entre enjoos, dores, lágrimas...  Nu, muita coisa, mas sempre felizes porque fazemos parte do milagre da vida!
Aí vem a primeira consulta e um simples aparelhinho colocado na barriga faz a vida fazer todo o sentindo, um tum tum tum, forte, rápido, vindo de um "grão de lentilha" te faz sentir uma super heroína!!! Nessa hora você agradece a Deus por ser mulher e ter o privilégio de carregar outra vida dentro de você.
Depois vem a euforia, e durante 09 meses um turbilhão de emoções tomam conta das nossas vidas. A ansiedade presente desde o início só aumenta, a cada ultrassonografia você tenta imaginar como será o seu bebê, (pra quem não faz a 3D, aquele borrão cinza não ajuda muito), vai ser menino ou menina? Não importa, o importante é que seja meu, seja perfeito como Deus quer! Queremos sempre o melhor, com saúde e perfeito, mas filho é perfeito do jeito que vier, temos que estar dispostas a amar desde as sete letras...
Aí vem as piores dores, e você já começa a achar que não foi uma boa ideia, não sabe mais se agradece por ser mulher... Nossa, são horas de agonia até que... UNHÉÉÉÉ!!! Ah gente, esse choro, e tudo faz sentido de novo, e daí você vê aquela coisinha toda suja de sangue com aquelas bochechas e agradece por ser mulher novamente! Um amor enche seu peito, um amor que você jurava já ter encontrado na vida e que só aí ele faz sentido, você se sente um coração em pessoa, é indescritível essa sensação, esse amor. Só quem é mãe, sabe o que eu estou falando...  Depois vêm novos desafios, banhos, fraldas, rachaduras nos seios, noites sem dormir, mil roupinhas, babas, choros e mais choros intermináveis, sorrisos, olhares cheio de amor, as gargalhadas, as sujeiras de papinha, engatinhar, andar, falar, não necessariamente nessa ordem, abraços, beijos, declarações de amor, e mais choros, e eu te odeio, e eu vou embora, e me perdoa e eu te amo... Aquelas mães de coração, nem sempre sentem esse amor desse modo, ele já vem com sorrisos e abraços prontos, mas é o mesmo! E a vida desse nosso amor vai seguindo...
Mulher nasce mulher, mas não nasce mãe!! A gente escolhe ser mãe, a gente aceita ser mãe carregando o filho no ventre ou não. Não existe manual de como ser mãe, é um aprendizado, eterno... Geramos um ser humano sem saber como este será no futuro, só sabemos é que vamos amá-los não importa como forem. Só quem é mãe de fato, sabe que filhos são bençãos e presentes divinos, são milagres. Ser mãe é estar bem próxima a Deus!
Ser mãe é ser super heroína, é ser coração, é ser alma, é ser capaz de TUDO para ver seus filhos felizes, protegidos e amados.
À você mãe, hoje no seu dia, eu só posso desejar que você dure o tempo que for preciso na vida de seus filhos, e que você os ame o suficiente para que eles nunca deixem de amá-la, respeitá-la e esquecê-la. À você mãe, que Deus sempre esteja ao seu lado para que a sua missão seja cumprida com toda a Sua benção!
Feliz dia das mães a todas as mães do mundo e também àquelas que vão ser! Você já é feliz só por escolher gerar outra vida!

Milena Renata Borges de Lima